Mercados avançam após falas de dirigentes do Fed

Compartilhe o post:

NESTA MANHÃ
Nesta manhã: Mercados avançam após falas de dirigentes do Fed.
  • As bolsas da Ásia fecharam com viés de alta, acompanhando o comportamento de Wall Street, após dois dirigentes do Fed minimizarem preocupações sobre uma possível recessão na maior economia do mundo. O Nikkei subiu 0,10%, após notícia que o ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe foi baleado durante discurso de campanha, enquanto o Hang Seng avançou 0,38%. Contudo, o Xangai Composto caiu 0,25%, pressionado por ações do setor automotivo. 
  • Na Europa, as bolsas operam sem direção definida, mostrando dificuldade de manter a recuperação dos dois pregões anteriores, enquanto os investidores aguardam novos números do mercado de trabalho dos EUA e seguem ponderando a possibilidade de recessão americana. O índice Stoxx Europe 600 avança 0,43%.
  • Os futuros dos índices de ações de Wall Street operam sem direção única.
  • O rendimento do T-Notes de 10 anos está em 2,99%.
  • Os contratos futuros do Brent sobem 0,58%, a US$ 105,26 o barril.
  • O ouro está de lado, a US$ 1.741,22 a onça.
  • O Bitcoin negocia a US$ 21,6 mil.
AGENDA DO DIA
  • 08:55 Zona do Euro: Discurso de Christine Lagarde, presidente do BCE
  • 09:00 Brasil: IPCA (Jun) 
  • 09:30 EUA: Relatório de Emprego Payroll (Jun) 
  • 10:00 Brasil: Venda de Veículos Anfavea (Jun)

RESUMO DO FECHAMENTO ANTERIOR
BRASIL

O Ibovespa navegou a retomada do apetite por risco, seguindo o exterior, com os mercados ainda digerindo os sinais emitidos pela ata mais recente do Fomc, além de declarações de dirigentes do Fed hoje (7). Assim, o índice fechou em alta de 2,04%, aos 100.729,72 pontos.

Do mesmo modo, observando a retomada por apetite no exterior, o dólar e o juros futuros recuaram. Os juros futuros tiveram queda firme, principalmente nos vencimentos de médio e longo prazos. Ao passo que o dólar caiu 1,46%, a R$5,3450

EXTERIOR

As bolsas de Nova York fecharam em alta. Operadores monitoraram as falas de dirigentes do Fed, que minimizaram as preocupações com recessão americana e reforçaram acreditar em “pouso suave” da economia. Além disso, dados macroeconômicos também estiveram no radar. O Dow Jones subiu 1,12%, enquanto o S&P 500 avançou 1,49% e o Nasdaq teve alta de 2,28%.

Tanto o diretor do Fed, Christopher Waller, quanto o presidente da distrital de St. Louis, James Bullard, afirmaram ainda esperar um pouso suave para a economia americana. Ou seja, alcançar alívio na inflação sem provocar uma recessão. Ambos têm poder de voto nas decisões monetárias e consideram uma alta de 75 pontos-base para a reunião deste mês. Waller disse ainda que “provavelmente” defenderá aumento de 50 pontos-base em setembro.

Os retornos dos Treasuries subiram, em uma sessão marcada pela volta do apetite ao risco nos mercados acionários, mesmo com a continuidade dos temores de recessão. Ao passo que o índice DXY registrou ganho de 0,03% no dia, observando dados fracos na Europa e o anúncio que Doris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido, deixará o posto. 

INDICADORES ECONÔMICOS NOS EUA

A ADP cancelou as divulgações do relatório de emprego no setor privado dos EUA que estavam marcadas para quinta (7) e para 3 de agosto. O indicador deve voltar a ser informado em 31 de agosto, com metodologia reformada.

O déficit comercial dos EUA teve leve queda de 1,3% em maio ante abril, a US$ 85,55 bilhões, de acordo com dados publicados pelo Departamento do Comércio. Analistas consultados pelo WSJ, no entanto, previam déficit ainda menor em maio, de US$ 84,7 bilhões. Além disso, o saldo negativo da balança de abril foi revisado para baixo, de US$ 87,08 bilhões para US$ 86,69 bilhões. As exportações dos EUA subiram 1,2% na comparação mensal de maio, a US$ 255,89 bilhões, enquanto as importações avançaram 0,6% no período, a US$ 341,44 bilhões.

INDICADORES ECONÔMICOS NO BRASIL

Os dados do IBC-Br de março e abril foram divulgados nesta quinta-feira (7) após o encerramento da greve dos servidores do BC, na última terça-feira (5). Originalmente, as publicações deveriam ter sido feitas nos dias 16 de maio e 15 de junho, respectivamente. Além disso, houveram revisões em todos os meses até setembro de 2021. 

O índice subiu 1,08% em março ante fevereiro, pouco acima da expectativa de 1,0%, conforme pesquisa da Projeções Broadcast. Em abril ante março, o indicador caiu 0,44%, abaixo das estimativas, que tinha mediana de crescimento de 0,1%.

POLÍTICA NO BRASIL

A comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou ontem (8) a PEC das bondades, mas o governo não conseguiu mobilizar sua base e precisou adiar a votação no plenário para evitar o risco de uma derrota. Assim, o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), decidiu convocar nova sessão para terça-feira e alertou aos parlamentares que cortará o salário de quem não aparecer. O atraso foi uma vitória da oposição, que vem tentando adiar a votação do projeto com o argumento de que não aceita o rito acelerado adotado por Lira e o governo. A PEC ignorou o regimento interno, pulou a votação pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e foi anexada a outra, a dos Biocombustíveis, já em fase final de tramitação na comissão especial. (Folha)

Para mais notícias sobre política, acesse o Panorama Político.

PAINEL DE COTAÇÕES

As informações contidas neste material têm caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação
 de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Este material é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Órama Investimentos, incluindo agentes autônomos e clientes, podendo também ser divulgado no site e/ou em outros meios de comunicação da Órama. Fica
 proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Órama.
Compartilhe o post:

Posts Similares