Bolsas operam em alta em dia de Copom, FOMC e reunião extraordinária do BCE.

NESTA MANHÃ
Nesta manhã: Bolsas operam em alta em dia de Copom, FOMC e reunião extraordinária do BCE.
  • As bolsas na Ásia fecharam mistas. Assim, o Xangai composto teve alta de 0,50% e o Hang Seng avançou 1,14%, influenciados pela divulgação de dados na China. Ao mesmo tempo, o Nikkei fechou em baixa de 1,14%.
  • A produção industrial da China subiu 0,7% em maio em relação ao ano anterior, melhorando ante a queda de 2,9% em abril. De acordo com os economistas consultados pelo WSJ, a expectativa era de queda de 1% no mês. As vendas no varejo, um indicador importante do consumo chinês, caíram 6,7%, em comparação com a queda de 11,1% em abril, conforme divulgado pelo Departamento Nacional de Estatísticas. A leitura foi melhor do que a queda de 6,9% esperada pelos economistas.
  • Na Europa, as bolsas operam em alta, com uma convocação extraordinária do BCE anunciada pela manhã, para avaliar o quadro recente do mercado, e divulgação de dados na região. Dessa forma, o índice Stoxx Europe 600 opera em alta de 1,01%.
  • A produção industrial da zona do euro teve crescimento de 0,4% em abril, na comparação com março, de acordo com a Eurostat. Contudo, analistas previam alta de 0,5%. Na comparação anual, houve queda de 2% em abril, enquanto a expectativa era de recuo de 1,2%. 
  • Os futuros dos índices de ações de Wall Street indicam abertura em alta. 
  • O rendimento do T-Notes de 10 anos está em 3,37%.
  • Os contratos futuros do Brent recuam 0,89% a US$ 120,09 o barril.
  • O ouro avança 1,00%, a US$ 1.826,63 a onça.
  • O Bitcoin negocia a US$ 20,5 mil.
AGENDA DO DIA
  • 08:00 Brasil: IGP-10 (Jun) 
  • 09:00 Brasil: IBC-Br (Abr)
  • 09:30 EUA: Vendas no Varejo (Mai)
  • 15:00 EUA: Declaração do FOMC
  • 18:00 Brasil: Decisão do COPOM

RESUMO DO FECHAMENTO ANTERIOR
BRASIL

Com a aversão a risco no exterior, na véspera de reunião do Fed e do Copom, o Ibovespa fechou em queda de 0,52%, aos 102.063,25 pontos. Além disso, o dólar encerrou o pregão em alta de 0,35%, a R$ 5,1330, em dia de grande volatilidade. 

Ao passo que os juros abriram muito, em meio à combinação de disparada dos Treasuries, alta do dólar, preços de petróleo altos e iminência de anúncio de reajustes de preços na Petrobrás. O contrato do DI 2023 fechou em 13,67%, de 13,55%, o de 2025 terminou em 13,04%, de 12,74%, e o de 2027 em 12,95%, de 12,74% anteriormente. 

EXTERIOR

As bolsas de Nova York fecharam sem direção única, na véspera da decisão do Fed. Dessa forma, o Dow Jones fechou em baixa de 0,50% e o S&P 500 recuou 0,38%. No entanto, o Nasdaq conseguiu encerrar a sessão com alta de 0,18%. 

Os Treasuries avançaram em meio à expectativa da decisão do Fed. Assim, o rendimento da T-note de 10 anos fechou a 3,479%, máxima desde abril de 2011. Do mesmo modo, o índice DXY avançou em 0,42%. 

INDICADORES ECONÔMICOS NO BRASIL

 O volume de serviços prestados subiu 0,2% em abril ante março, de acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada pelo IBGE. No mês anterior, o resultado foi revisto de 1,7% para 1,4%. No entanto, o resultado de abril ficou abaixo da mediana das expectativas, de 0,4%. Além disso, na comparação com abril do ano anterior, houve elevação de 9,4%, já descontado o efeito da inflação. 

POLÍTICA NO BRASIL

O Senado aprovou, em dois turnos, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Etanol. O texto, que prevê um regime fiscal diferenciado para o etanol em relação a combustíveis fósseis, segue para a Câmara dos Deputados. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), lembrou que a votação da PEC integra um acordo político que também inclui o PLP 18/2022, projeto que criou um teto para o ICMS sobre combustíveis, energia elétrica, comunicações e transporte público. (Valor)

A Câmara dos Deputados aprovou na noite de terça-feira (14) por 308 votos a favor e nenhum contrário o texto-base do projeto de lei complementar (PLP) que corta o imposto estadual (o ICMS) sobre os combustíveis, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo. Dessa forma, a alíquota do imposto incidente sobre esses itens passa a se limitar entre 17% e 18%, a depender da localidade. Problemas técnicos no sistema de votação da Casa, contudo, levaram ao encerramento da sessão. A conclusão terá que ocorrer hoje (15), pois falta a análise de duas emendas dos partidos de oposição. Em seguida, o texto deve seguir para sanção. (Valor)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) vetou ontem (14) a Medida Provisória 1089/21, que altera a legislação do setor aéreo e dispõe sobre a gratuidade no despacho das bagagens em voos nacionais e internacionais, segundo comunicado da Secretaria-Geral da Presidência da República. A medida ainda será publicada no DOU (Diário Oficial da União). (Poder360)

Para mais notícias de Brasília, acesse o Panorama Político.

PAINEL DE COTAÇÕES

As informações contidas neste material têm caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação
 de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Este material é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Órama Investimentos, incluindo agentes autônomos e clientes, podendo também ser divulgado no site e/ou em outros meios de comunicação da Órama. Fica
 proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Órama.

Posts Similares