CRI Arena MRV (CDI + 2,5%): Com 60% das obras concluídas, Arena MRV segue a todo vapor para entregar o estádio pronto no 1º semestre de 2023

CRI Arena MRV: Com 60% das obras concluídas, Arena MRV segue a todo vapor para entregar o estádio pronto no 1º semestre de 2023

Com 60% das obras concluídas, Arena MRV segue a todo vapor para entregar o estádio pronto no 1º semestre de 2023

Neste mês de junho de 2022, a Arena MRV ultrapassou a marca de 60% das obras concluídas para se tornar o novo estádio do Clube Atlético Mineiro (“Atlético-MG”) a partir do final do 1º semestre de 2023.

A Arena MRV que teve seu pontapé inicial em setembro de 2017 com a aprovação do projeto para construção do novo estádio pelo Conselho Deliberativo do Atlético-MG. E após conseguir as autorizações junto às entidades públicas e viabilizar os recursos iniciais para a realização do projeto, iniciou as obras em abril de 2020.

O projeto tem um custo previsto de R$ 740,6 milhões e os recursos necessários para pagar pelo novo estádio vieram da venda parcial do Shopping Diamond Mall (R$ 279,8 milhões), venda do Naming Rights do estádio para a MRV (R$ 44,7 milhões), da doação do terreno pelo Rubens Menin (R$ 20,9 milhões), da venda de cadeiras, camarotes e estacionamento (R$ 115,9 milhões até abr/22), da emissão de um CRI (R$ 200,0 milhões) e o restante será obtido com as futuras vendas de cadeiras, camarotes e estacionamentos.

Oportunidade de Investimento

O CRI da Arena MRV (21L0823062) é uma excelente opção de investimento em renda fixa, no segmento de crédito privado. Trata-se de um ativo considerado high yield, ou seja, que traz uma taxa de retorno acima da média do mercado. É um ativo atrativo para compor a carteira de investimento, se adequando melhor a investidores com perfil mais arrojado.

Características do Ativo:
Vencimento22/12/2026
RemuneraçãoCDI + 2,50% a.a.
Pagamento de JurosMensal

Quem é a Arena MRV?

A Arena Vencer Complexo Esportivo Multiuso SPE (“Arena MRV”) é uma empresa do setor de eventos esportivos e do entretenimento em geral, que foi idealizado para desenvolver e operar o novo estádio do Atlético-MG e acompanhar o movimento de construção de arenas multiuso nos principais clubes de futebol do Brasil.

Localizado no bairro Califórnia, na cidade de Belo Horizonte-MG, o estádio foi projetado para suportar uma capacidade de cerca de 46 mil pessoas sentadas utilizando o conceito de arena multiuso que conta com um centro de experiências para os visitantes e com infraestrutura preparada para receber shows de entretenimento. Todas essas características ainda estão alinhadas com a proposta da Arena MRV ser o estádio mais tecnológico da América Latina.

O Atlético-MG é detentor de 100% da Arena MRV, porém possui uma governança apartada do clube no qual tem uma estrutura administrativa própria e tem a totalidade de suas quotas integralizadas dentro de um fundo de investimento imobiliário (FII). Além disso, quaisquer novos investimentos que ultrapassem R$ 10 milhões é necessário aprovação pelo Conselho de Administração no qual o Atlético-MG possui metade dos membros votantes.

A Arena MRV em números

Como a receita da Arena MRV é composta por bilheteria, planos de sócio torcedor, venda e manutenção de cadeiras cativas, camarotes e estacionamento, eventos de entretenimento e entre outros, a maturação do faturamento da empresa se dará após a conclusão das obras e operacionalização do estádio. Por esta razão os números financeiros da empresa se encontram em estágio inicial com potencial de crescimento nos próximos anos.

A emissão de R$ 200 milhões do CRI constitui a única dívida da Arena MRV, que foi emitida em dezembro de 2021 com um perfil de cronograma distribuído ao longo dos 5 anos seguintes e uma carência de pagamento de amortização nos primeiros 18 meses (período no qual o estádio ainda não está operacional). Essa é uma dívida que se adequa à capacidade financeira da empresa em cumprir com suas obrigações até o vencimento em dezembro de 2026. E vale mencionar que o CRI se encontra adimplente e sem atrasos de pagamentos até o momento.

Estruturação do Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI)

A Arena MRV é a devedora do CRI emitido pela Virgo Companhia de Securitização, com código CETIP 21L0823062 e que vence em dezembro de 2026. Por ser um projeto em andamento, a Arena MRV depende do estádio em operação para maximizar a geração de receita que permitirá honrar o pagamento da sua dívida, porém as vendas de cadeiras, camarotes e estacionamentos de forma antecipada à conclusão do projeto tem se tornado uma excelente fonte de receita.

Porém, com o intuito de dar maior robustez à operação, essa dívida foi estruturada por uma securitizadora, que consiste em constituir um arcabouço legal e jurídico para que toda a dívida seja paga com valores e procedimentos corretos. A emissão desse CRI tem o intuito de antecipar recursos à Arena MRV para efetuar o pagamento das obras do estádio e que permite à devedora pagar esse empréstimo de acordo com a previsão de receita a ser recebida nos próximos 5 anos.

Adicionalmente, para oferecer um risco menor à operação, foram constituídas garantias que vinculam a geração de receitas com cadeiras, camarotes, estacionamentos e bilheteria dos jogos (seja através da venda física, virtual ou pelo programa de sócio torcedor) para o pagamento da dívida, além da constituição de um fundo de reserva e um fundo de juros que juntos possuem R$ 60 milhões e que vão diminuindo de tamanho com o decorrer dos pagamentos mensais da dívida. Na imagem acima podemos ver a expectativa de fluxo de recebimentos dos recebíveis colocados em garantia contra o pagamento de juros e amortização da CRI ao longo da vida útil do ativo e como a operação foi constituída para que os riscos ao investidor sejam minimizados, uma vez que os recebíveis previstos a cada ano correspondem, no mínimo, a 150% dos pagamentos anuais da dívida.

Para maiores informações desta operação, clique aqui.

Posts Similares