Bolsas operam no vermelho após resultado inesperado da indústria alemã

NESTA MANHÃ
Nesta manhã: Bolsas amanhecem no vermelho após resultado inesperado da indústria alemã.
  • As bolsas na Ásia fecharam mistas, à medida que os investidores ponderavam o otimismo quanto ao relaxamento de restrições na China com as preocupações sobre inflação e política monetária. Assim, o índice Xangai Composto teve ganho de 0,17%, o Hang Seng cedeu 0,56% e o Nikkei subiu 0,10%. 
  • Na Europa, as bolsas operam com viés de baixa, após a inesperada queda em dado da indústria alemã acender o alerta vermelho sobre as perspectivas para a economia local, em meio ao aperto monetário na região. Desse modo, o índice Stoxx Europe recua 0,6%. 
  • As encomendas à indústria da Alemanha caíram 2,7% entre março e abril, conforme informou a agência de estatísticas do país, a Destatis. O resultado previsto pelos analistas era de avanço de 0,5% no período, conforme apurado pelo WSJ.
  • Os futuros dos índices de ações de Wall Street indicam abertura no vermelho.
  • O rendimento do T-Notes de 10 anos está em 3,02%.
  • Os contratos futuros do Brent avançavam 0,01% a US$ 116,98 o barril.
  • O ouro está subindo 0,49%, a US$ 1.850,45 a onça.
  • O Bitcoin negocia a US$ 29,6 mil.
AGENDA DO DIA
  • 09:30 EUA: Balança Comercial (Abr)
  • 13:00 EUA: Perspectiva Energética de Curto Prazo
  • 17:30 EUA: Estoques de Petróleo Bruto Semanal

RESUMO DO FECHAMENTO ANTERIOR
BRASIL

O Ibovespa iniciou a semana em baixa de 0,82%, fechando aos 110.185,91 pontos. Ao passo que o real tentou avançar sobre o dólar no início do pregão, mas sucumbiu a uma série de incertezas externas e internas e perdeu força ao longo do dia. Assim, a moeda americana terminou a sessão em alta de 0,36%, a R$ 4,7960. 

Os juros subiram também, pressionados principalmente pela preocupação com o cenário fiscal em meio às incertezas sobre o pacote de combustíveis em discussão no Congresso, que já vinha trazendo cautela no fim da semana anterior.  

EXTERIOR

 As bolsas de Nova York fecharam em alta, em dia marcado por uma tentativa de recuperação em grande parte da sessão. O apoio veio da Ásia, com o PMI composto da China subindo em maio, refletindo o relaxamento de restrições contra a covid-19 no país. No entanto, ao longo dia, os índices perderam fôlego e chegaram a operar mistos, enquanto ainda pesam as preocupações com o aperto monetário do Fed, na expectativa da divulgação da inflação americana (CPI) de maio. Desse modo, o Dow Jones subiu 0,05%, o S&P 500 avançou 0,31% e o Nasdaq teve alta de 0,40%.

Ao mesmo tempo, os juros dos Treasuries subiram, em meio ao maior apetite por risco nos mercados internacionais. Na esteira do payroll na sessão anterior, os rendimentos dos títulos estenderam as altas, também sob expectativa do CPI. Além disso, o índice DXY avançou 0,29%, apoiado pela perspectiva do aperto monetário por parte do Fed. 

GUERRA NA UCRÂNIA

Forças ucranianas conseguiram retomar partes da cidade de Severodonetsk em um contra-ataque, enquanto tentam adiar a ofensiva russa no leste da Ucrânia enquanto Kiev espera por novos sistemas de foguetes de longo alcance dos EUA. 

Sob pressão para acabar com a dependência do petróleo e do gás natural russos, a União Europeia está pressionando por medidas de longo alcance para economizar energia em uma escala antes considerada impraticável. Os governos estão se movendo para incentivar e, em alguns lugares, exigir a substituição de sistemas de aquecimento a gás por bombas de calor elétricas e fazer outras mudanças, desde a renovação de edifícios em todo o continente até a captura de calor dos data centers.

Faltando apenas algumas semanas para o início da colheita de trigo na Ucrânia, a Polônia está correndo para acelerar o fluxo de grãos do país devastado. Eles estão vasculhando a Europa em busca de vagões e contêineres sobressalentes, lançando novos agentes alfandegários em uma fronteira congestionada por caminhões e despachando líderes políticos para países distantes desesperados para garantir novos carregamentos da Ucrânia. (WSJ)

INDICADORES ECONÔMICOS NO BRASIL

O mercado de trabalho formal registrou a criação de 196.966 vagas com carteiras assinadas em abril, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado pelo Ministério do Trabalho e Previdência. Em abril de 2021, houve abertura de 89.538 vagas com carteira assinada. O resultado decorreu de 1.854.557 de admissões e de 1.657.591 demissões. No acumulado dos quatro primeiros meses de 2022, o saldo do Caged já é positivo em 770.593 vagas. O resultado veio acima da mediana das expectativas do mercado, de 170.328 mil novos postos de trabalho, conforme apurado pelo Projeções Broadcast.

POLÍTICA NO BRASIL

O presidente Jair Bolsonaro divulgou um amplo pacote de medidas para tentar reduzir o preço dos combustíveis. Após zerar as alíquotas de PIS e Cofins sobre o diesel e o gás de cozinha até dezembro de 2022, Bolsonaro anunciou a ampliação do alcance da medida e vai desonerar tributos federais também sobre a gasolina e o etanol. Além disso, se dispôs a compensar com recursos da União os Estados que aceitarem zerar o ICMS sobre diesel e gás de cozinha até o fim do ano. Os anúncios foram feitos em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, após reunião com ministros e lideranças do Congresso. Bolsonaro também disse esperar que haja entendimento para a aprovação no Senado do teto de 17% para o ICMS sobre energia elétrica e combustíveis. (Estadão / Folha)

Para mais notícias de Brasília, acesse o Panorama Político.

PAINEL DE COTAÇÕES

As informações contidas neste material têm caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação
 de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Este material é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Órama Investimentos, incluindo agentes autônomos e clientes, podendo também ser divulgado no site e/ou em outros meios de comunicação da Órama. Fica
 proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Órama.

Posts Similares