Mercados com dúvidas sobre a capacidade do Fed de ajustar sua política sem levar os EUA a uma recessão

Confira as últimas atualizações para você começar seu dia com tudo que precisa saber sobre o mercado financeiro.

O mau humor continua após as bolsas de Nova York sofrerem perdas robustas ontem em meio a temores de que futuras altas de juros nos EUA possam comprometer o desempenho da maior economia do mundo.

Fechamento das bolsas na Ásia

As bolsas asiáticas encerraram majoritariamente em queda, seguindo o tombo que Wall Street sofreu ontem em meio a releituras da postura de política monetária do banco central dos EUA. O índice Hang Seng liderou as perdas, com queda de 3,81% em Hong Kong. O Xangai Composto desabou 2,16% na China. A exceção foi o japonês Nikkei, que subiu 0,69%, na volta de três dias de feriados e ajudado por ações dos setores elétrico e petrolífero. Os negócios asiáticos foram marcados também por uma dose de cautela antes de mais um relatório de emprego dos EUA

Na Europa…

As bolsas europeias operam em baixa desde a abertura dos negócios. O índice Stoxx Europe 600 cai 1,23%. Também no radar está a proposta que a União Europeia (UE) anunciou esta semana de suspender as importações de petróleo russo, em mais uma resposta à invasão da Ucrânia por forças de Moscou. A Hungria, porém, tem se mostrado relutante à ideia.

No cenário macroeconômico europeu, a Alemanha voltou a decepcionar, com uma queda de 3,9% na produção industrial, bem maior do que se previa, espelhando o fraco resultado das encomendas. A libra agora está estável, após a queda, quando os investidores ignoraram o aumento da taxa do Banco da Inglaterra e voltaram seu foco para as previsões de uma recessão em 2023. O governador do BOE, Andrew Bailey, disse que a economia do Reino Unido já está desacelerando por causa de um aperto no poder de compra do consumidor, e isso ajudará a reduzir a inflação no próximo ano.

Os futuros dos índices de Nova York apontam para uma abertura na vermelho. Os investidores aguardam o Payroll que será divulgado na manhã de hoje e tem forte influência na trajetória dos juros americanos.

O rendimento do T-Notes de 10 anos está acima de 3,00%

Para mais notícias sobre Brasília, acesse o Panorama Político.

Leia mais no documento completo

Posts Similares