Staying Alive – Março 2022

‘Staying alive’, a carta de março da Órama Gestão de Recursos, traz uma discussão e a visão da gestora sobre o setor de saúde.

No panorama macro, o juros futuros apresentaram uma maior inclinação da curva. A parte mais longa tendendo a um fechamento, enquanto a ponta curta mostrou uma abertura de cerca de 30bps. Em grande parte, esse movimento é reflexo dos sinais de aperto monetário nos EUA e das incertezas nas políticas econômicas internas.

Na renda fixa, seguimos na expectativa em relação às próximas reuniões do Copom. Quanto a isso, a curva mostra a precificação de mais 100bps para a reunião de maio e 50bps para o mês seguinte. Seguimos em busca das melhores alocações dentro da curva, a fim de maximizar o carrego e os ganhos reais de nossos fundos.

Em relação ao mercado doméstico, seguimos com uma visão mais negativa. A redução da renda disponível e o ciclo de aperto monetário ainda devem impactar a demanda local, ao passo que o cenário global continua a pressionar os custos. Em nossa estratégia de renda variável, mantivemos uma alocação mais defensiva. Dessa forma, aumentamos a posição em teses que conseguem repassar o aumento de custo. É o caso das commodities e dos setores de energia, bancos, consumo não discricionário, saúde e utilities.

Na carta de março, discutimos o conflito de interesse inerente ao setor de saúde. Combinado à mudança no perfil etário da população, o conflito gera uma particularidade do setor em relação a outros. Isto é, o aumento de custos concomitante ao avanço tecnológico. Além disso, discutimos as tendências de verticalização da saúde privada no Brasil e nossas principais teses no setor.

Por fim, reforçamos aqui que estamos abertos a feedbacks em nossos canais de atendimento.

Esperamos que gostem!

Posts Similares