Natura – NTCO3

Natura

CONSUMO

Números melhores, mas ainda muito trabalho

Resultados satisfatórios no 4T21.

Um dos destaques neste ano foi o crescimento da receita em mercados hispânicos da marca Natura, que atingiu 13% em moeda local e 22% considerando a valorização do Real. Ademais, na marca Avon, as atividades no Brasil estão sendo enxugadas, tendo em vista melhorar a lucratividade. Com isso, a queda na receita foi da ordem de 27% – puxada principalmente por uma queda de 18% no número de representantes comerciais. Dessa forma, o negócio na américa latina como um todo terminou o trimestre com margem EBITDA de 12,1%, em linha com o número de 2020.

Melhora nos números da Avon Internacional

Assim como aqui na América Latina, a Avon passa por uma reestruturação nas suas atividades globais, tendo em vista também a melhora da lucratividade. Com isso, a receita sofreu uma queda substancial, de 7,4% em moeda local. A margem EBITDA, entretanto, mais que dobrou, vindo de 4,1% para impressionantes 10,7%. Em contrapartida, o desempenho das marcas mais high end foi misto, com The Body Shop tendo queda expressiva em receita  e EBITDA, contrastando com o desempenho bastante forte da Aesop.

Digitalização segue também em ritmo acelerado

A participação das vendas online no total de vendas dobrou em relação ao 4T19 para as principais marcas – Avon e Natura. O compartilhamento de conteúdo online por parte das representantes multiplicou por 4 neste período. Em outra iniciativa importante, a ferramenta de pagamentos da Natura, chamada &Co Pay, atingiu 6,5 bilhões de Reais em TPV no ano de 2021, 62% a mais do que o guidance da empresa.

Empresa está caminhando na direção certa.

Os esforços de melhora nos custos e implementação de soluções tecnológicas na Avon, tanto Brasil quanto internacional, tem sido bem sucedidos. Apesar de ainda aquém do guidance inicial, os números vêm apresentando melhora substancial, e neste quarto trimestre vimos diversas iniciativas da empresa já gerando resultado. A margem acima de 10% na Avon Internacional ilustra bem o argumento. Estamos convictos de que essa tendência deverá se manter ao longo dos próximos trimestres, e o mercado deverá cada vez mais incorporar esta perspectiva no preço da ação.

Pricing favorável em relação aos pares internacionais segue sendo o cerne do case.

De fato, o preço da ação caiu muito. A Natura opera hoje nos níveis de múltiplo mais baixos da indústria, mesmo considerando as empresas que operam no prejuízo. Na nossa conta, estimamos uma margem líquida para a companhia em linha com a média histórica. Com o mesmo nível de receita de hoje, e operando no múltiplo médio da indústria (excluindo as companhias com prejuízo), vemos potencial para a ação dobrar de preço, mesmo considerando que ainda teremos algum desconto em relação aos pares internacionais.


Disclaimer disponível no relatório completo. Acesse o documento clicando no link abaixo.

Posts Similares