De olho na Renda Fixa – Janeiro 2022

‘De olho na Renda fixa’, a primeira carta da Órama Gestão de Recursos de 2022, traz como principal tópico o mercado de renda fixa e de infraestrutura.

Em termos macro, o ano de 2022 começou agitado. Vimos uma rápida escalada nos casos de Covid-19, em função da nova variante Ômicron. Apesar de mais transmissível, a variante tem se mostrado bem menos letal, ao passo que as campanhas de vacinação continuam a avançar. Enquanto isso, os países passam a adotar maiores restrições aos que não possuem esquema vacinal completo.

Nos EUA, o FED já mostra uma certa mudança de posicionamento, deixando de lado o discurso de transitoriedade. A expectativa de aumento de juros nos EUA, combinada ao cenário nebuloso em torno da condução da política fiscal no Brasil eleva a pressão sob o juro real. Por conta disso, observamos uma abertura de 40 bps ao longo de toda a curva de juros local em janeiro.

A visão mais desafiadora nos EUA levou a uma busca por diversificação em mercados emergentes, o que beneficia a bolsa brasileira. Dessa forma, o Ibovespa fechou o segundo mês de alta, sustentado pelo fluxo de recursos estrangeiros. Por outro lado, seguimos observando um fluxo de saída dos investidores locais, com resgates ainda altos nos fundos de ações e multimercados.

A carta de janeiro traz como foco a renda fixa e uma análise sobre o mercado de infraestrutura brasileiro. Além disso, discutimos as oportunidades que enxergamos e nossas expectativas.

Por fim, reforçamos aqui que estamos abertos a feedbacks e críticas em nossos canais de atendimento.

Esperamos que gostem! Boa leitura!

Órama Gestão de Recursos

Posts Similares